Operadoras de Plano de Saúde não estão obrigadas a fornecer medicamento não registrado pela ANVISA, decide STJ.
15915
post-template-default,single,single-post,postid-15915,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive
 

Operadoras de Plano de Saúde não estão obrigadas a fornecer medicamento não registrado pela ANVISA, decide STJ.

O Superior Tribunal de Justiça, em sede de julgamento de Recursos Especiais Repetitivos, fixou o entendimento de que “As operadoras de plano de saúde não estão obrigadas a fornecer medicamento não registrado pela ANVISA” (REsp nº 1.726.563-SP – 2017/0120185-3)

A tese fixada pelo STJ apenas reconhece a aplicabilidade do disposto no artigo 10, V, da Lei 9.656/98, o qual determina que não há obrigatoriedade de cobertura, por parte dos planos de saúde, no que se refere ao fornecimento de medicamentos não nacionalizados, ou seja, não registrados na ANVISA

No Comments

Post A Comment