STJ ratifica posicionamento sobre cálculo do ISS
15706
post-template-default,single,single-post,postid-15706,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

STJ ratifica posicionamento sobre cálculo do ISS

O Superior Tribunal de Justiça ratificou posicionamento sobre a base de cálculo reduzida do ISS incidente sobre os gestores de planos de saúde. A base de cálculo deve ser formada pelo faturamento dos gestores, descontando-se os valores pagos a médicos e prestadores de serviço credenciados, para que não ocorra a bi-tributação. Eis a ementa do julgado do Superior Tribunal.

ISS. BASE. CÁLCULO. SERVIÇO. PLANO. SAÚDE. 

A Turma, ao prosseguir o julgamento, por maioria, negou provimento ao recurso especial e afirmou que, nos serviços de plano de saúde, a base de cálculo do ISS é o valor líquido recebido (mensalidade paga pelo associado à empresa gestora do plano, deduzidas as quantias repassadas aos terceiros credenciados que prestam o atendimento médico). De acordo com o Min. Relator, o imposto já recai sobre os serviços prestados pelos profissionais, de modo que caracterizaria dupla tributação a nova incidência sobre o valor destinado a remunerar esses serviços.

Precedentes citados: AgRg no Ag 1.288.850-ES, DJe 6/12/2010; REsp 783.022-MG, DJe 16/3/2009; REsp 1.041.127-RS, DJe 17/12/2008, e EDcl no REsp 227.293-RJ, DJ 19/9/2005.

 

REsp 1.137.234-RS,

Rel. Min. Mauro Campbell Marques, julgado em 14/6/2011. Informativo de Jurisprudência do STJ.

No Comments

Post A Comment